Para mudar o mundo é preciso mudar a si mesmo.
Projeto Saber e Mudar
Aos poucos e sempre.
     
 

CARLOS BACCELLI:

50 ANOS DE MEDIUNIDADE E 200 OBRAS PUBLICADAS

 

Em 1981, aos 71 anos de idade, Chico Xavier lançou a obra Linha Duzentos(1), marcando seus 200 títulos publicados ao longo de 50 anos de divulgação literária – hercúlea missão iniciada em 1931, com a psicografia de Parnaso de Além-Túmulo(2), obra-prima da literatura espiritualista mundial, editada no ano seguinte, quando o médium era um jovem de apenas 22 anos e já psicografava desde os 17. Tão impressionante quanto isto é que Chico, tecnicamente idoso há mais de uma década, ainda teria pela frente o dobro e mais metade do dobro de produção bibliográfica, ultrapassando a marca de 500 obras publicadas!(3)

Curiosamente, naquele mesmo ano de 1981, Carlos Baccelli lançava seu primeiro livro, da prodigiosa sequência que agora também atinge a linha 200, neste ano de 2019, quando igualmente completa 50 anos de atividades mediúnicas(4). O segundo viria três anos depois, já em parceria psicográfica com Chico – honra que se estendeu por mais 9 obras(5), até 1989, intercaladas com as primeiras biografias de Chico, que hoje alcança o número de 23(6). Os dois já se conheciam desde 1969 ou início de 1970, quando Baccelli era um adolescente de 17 anos (a mesma idade com que Chico começou a psicografar).

Os livros biográficos possuem conteúdo riquíssimo em relatos sobre o maior médium de todos os tempos em ação: atendimento ao público, orientações a trabalhadores espíritas, atividades mediúnicas, serviços assistenciais, tarefas de divulgação, entrevistas, peregrinações, visitas fraternas e diálogos fecundos a respeito dos mais diferentes assuntos, além de parte da farta correspondência que os dois trocaram durante anos. A redação de Baccelli – que neste particular não atua propriamente como médium e sim escreve de punho próprio, como repórter participando da História – evidencia a mais fina acuidade intelectual ao examinar com admirável lucidez a atuação de Espírito tão avançado quanto Chico Xavier. E suas palavras também conseguem ser, em muitos momentos, de uma poética e um lirismo que emocionam até as lágrimas, nos transportando aos tempos apostólicos, como testemunhas da passagem do autêntico missionário aqui junto a nós.

Contudo, Baccelli é o maior biógrafo de Chico Xavier não apenas por essas 23 obras mas ainda por uma centena de outras, onde, em diversos trechos, juntamente com os Espíritos autores, cita, analisa e estuda profundamente sua vida e obra, nos fazendo enxergar, com espanto, tantas verdades que, sozinhos, deixamos escapar. Corrige uma série de equívocos de interpretação e conclusões apressadas acerca da personalidade e reencarnações do médium nascido em 1910, demostrando que sua grandeza e liderança são muito maiores do que se imaginava no contexto de tão elevada missão.(7) Constituem minuciosas abordagens e longas dissertações a contribuir de maneira decisiva para o entendimento da própria Doutrina Espírita, do legado de Allan Kardec e do Evangelho de Jesus.

O mesmo podemos afirmar no tocante ao conjunto de todas as suas obras, com destaque para as dos Espíritos Inácio Ferreira (44), Irmão José (39), Odilon Fernandes (24), Paulino Garcia (12) e Eurícledes Formiga (9). Lembramos ainda verdadeiras joias doutrinárias de Espíritos Diversos (22), Domingas (4), Ramiro Gama (3), Spartaco Ghilardi (3), Francisco Cândido Xavier (3), Bezerra de Menezes (2), Corina Novelino (1), Dulce Angela Calefi Gonçalves (1), Roberto Carlos Nardi (1), João Cabete (1), Irmão Zaqueu (1), Laurentino Simões (1) e Maria Máximo (1).(8)

Enfileirando-os em prateleiras numa estante, encontraremos ali belíssimas preleções evangélicas, ao lado de trovas populares repletas de humor e sabedoria; penetrantes ensaios filosóficos de alto significado, seguidos de alertas úteis para a vida cotidiana; inspiradores poemas a derramarem lições, emparelhados com pertinentes reflexões sobre temas atuais; comoventes romances históricos, acompanhados de instruções práticas para as tarefas espíritas; complexas proposituras científicas, junto a ensinamentos de teor psicológico para os conflitos existenciais; empolgantes colóquios de ilustração cultural, rodeados de sérias advertências relativas à responsabilidade social; envolventes discursos de sabor transcendental, antecedidos de tocantes páginas de consolação salvadora.(9)

Carlos Baccelli está no reduzidíssimo rol de autores espíritas e não espíritas, em âmbito internacional, que atingiram um patamar fenomênico de produtividade literária; entretanto, se fizermos um garimpo ainda mais rigoroso, veremos que ele será uma das poucas gemas a permanecerem nessa peneira, entrando para um grupo muito mais restrito: dos pensadores que, apesar das centenas de obras, não se perderam em elocubrações vazias, considerações periféricas ou vaidades pessoais e multiplicaram o talento para realmente fazer o essencial: amparar o próximo em suas dores e promover-lhe a evolução do espírito.

 

Fernando Peron

Pesquisador e estudioso do Espiritismo

Idealizador do Projeto Saber e Mudar – www.saberemudar.com.br

Fevereiro de 2019

 

Jornal da Mediunidade

Edição Especial, maio de 2019

LEEPP – Livraria Espírita Edições Pedro e Paulo

Uberba (MG)

________________

 

(1) Linha Duzentos, Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito Emmanuel, CEU – Cultura Espírita União. Lançada em dezembro de 1981 e esgotada rapidamente, a segunda edição saiu no mesmo mês. Prefácio de Emmanuel de 12 de março de 1981.

(2) Parnaso de Além-Túmulo, Francisco Cândido Xavier, por Espíritos Diversos, FEB – Federação Espírita Brasileira. Contém psicografias de grandes poetas brasileiros e portugueses desencarnados, que abalaram as estruturas da Academia Brasileira de Letras, pela fidelidade ao estilo de cada um dos autores, causando respeito e admiração em personalidades como o escritor Monteiro Lobato (1882-1948), e Agripino Grieco (1888-1973), um dos mais ferinos críticos literários da época.

(3) Índice atingido após sua desencarnação (em 2002), com a descoberta de materiais inéditos e o lançamento de diversas obras póstumas, além de novas coletâneas.

(4) Carlos A. Baccelli – resumo biográfico, trechos de obras e relação completa de suas obras:

http://www.saberemudar.com.br/index.php?q=carlosabaccelli

(5) Relação completa das obras de Francisco Cândido Xavier em parceria mediúnica com Carlos A. Baccelli: http://www.saberemudar.com.br/index.php?q=ocbpcx

(6) Relação completa das obras biográficas sobre Chico Xavier escritas por Carlos A. Baccelli: http://www.saberemudar.com.br/index.php?q=ocbbcx

(7) Sugerimos o estudo do livro Allan Kardec-Chico Xavier: Identidade e Missão, Fernando Peron, Carlos A. Baccelli, por Espíritos Diversos, LEEPP – Livraria Espírita Edições Pedro e Paulo, lançado em 2018.

(8) Acesse também a série Obras de Carlos Baccelli (dentro do canal de vídeos do Projeto Saber e Mudar), que preparamos em comemoração aos seus 50 anos de mediunidade e 200 obras publicadas:

http://www.saberemudar.com.br/index.php?q=obc

(9) Para conhecer melhor o trabalho de Carlos Baccelli como um todo, busque o livro Um Passo Além, Fernando Peron, Carlos A. Baccelli, por Espíritos Diversos, LEEPP – Livraria Espírita Edições Pedro e Paulo, lançado em 2017. Estudo isento e profundo sobre ele que é um dos mais atuantes e produtivos autores espíritas dos séculos XX e XXI, não apenas pela incomum quantidade de títulos, mas sobretudo pela qualidade e embasamento de seu trabalho. Traz também a compilação de 50 textos de 50 livros diferentes do autor.

 

Sobre o autor, clique aqui.

Outros artigos do autor, clique aqui.

Projeto Saber e Mudar
PARA MUDAR O MUNDO É PRECISO MUDAR A SI MESMO. AOS POUCOS E SEMPRE.